segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Cuidando de um Filhote - instruções básicas

O Papo com o Doutor de hoje está ótimo para as mamis de primeira viagem ou para aquelas que ainda estão considerando a possibilidade de adotar um filhotinho de gato.

Doutor, quais os principais cuidados com os filhotes de gato?

I. Considerações Gerais

Ter um gato envolve prazeres e responsabilidades. Ao chegar, o filhote deverá receber muito carinho e atenção, a fim de que se acostume com a sua nova família e habitat o mais rápido possível. Nunca devemos esquecer de que a saúde de seu amiguinho dependerá de você.



Inicialmente nosso amiguinho deve receber um nome e passar a ser chamado por esse sempre, para que no futuro ele atenda o seu dono quando este o chamar.

Nos primeiros dias deve-se ter paciência para obter sucesso nos ensinamentos. 
Eles podem ficar escondidos, assustados, fazerem as necessidades fora do lugar, deixarem de comer e beber água e mudar de comportamento em função do novo ambiente e novos tutores, mas com amor e cuidados a situação não deve demorar mto para normalizar.

Sempre exercite seu filhote e dê a ele oportunidade de fazer o xixi e cocô imediatamente após acordar, alimentar-se e/ou brincar.

O segundo passo é realizar um check-up veterinário para saber de suas condições de saúde e iniciar o esquema de vacinação e vermifugação do animal, medidas estas de grande importância para a vida futura do animal bem como de seus proprietários.

II. Vacinação

Em termos imunológicos, o conceito de vacinação é o uso da resposta de memória ao antígeno, para eliminação de patógenos antes que estes causem moléstia. Portanto a vacinação visa à prevenção ou regressão e desaparecimento de determinadas doenças. 



O esquema de vacinação do gato inicia-se aos 60 dias de vida, sendo o seguinte:

1ª dose de vacina quádrupla ---------------- 60 dias de vida
2ª dose de vacina quádrupla ---------------- 90 dias de vida
Anti-rábica ------------------------------------- 90 dias de vida
Revacinação anual com vacina quádrupla e anti-rábica



A vacina quádrupla promove imunização contra o vírus da:

Panleucopenia felina: é causada por um vírus pertencente à família Parvoviridae, sendo classificado como parvovírus felino. Este vírus é encontrado em todo o ambiente e é altamente contagioso. Seu reservatório são os próprios gatos, sendo transmitido através do contato direto entre animais doentes e susceptíveis, por meio de alimentos, água contaminada, excreto, vômito e também por aerossóis, em casos de comprometimento do trato respiratório.

Rinotraqueíte: é uma grave doença que ataca o aparelho respiratório de gatos. É causada pelo Herpesvírus Felino 1 (HVF-1). O HVF-1 é transmitido por contato direto de gatos infectados a gatos com baixa imunidade, geralmente filhotes. Gatos recém-nascidos possuem anticorpos maternos que os protegem da infecção, mas à medida que eles começam a perder essa imunidade, tornam-se altamente suscetíveis. Outros fatores que contribuem para a infecção são: subnutrição, higiene pobre do local e tamanho da população.

Calicivirose: É outra séria infecção respiratória dos gatos. Os sinais da infecção são febre, falta de apetite, e corrimento nasal, mas gatos infectados também podem apresentar úlceras na língua. A transmissão é obtida através dos corrimentos infecciosos e macro gotículas que entram em contato com a mucosa oro nasal.

Clamidiose: O agente causal pode se disseminar através das secreções dos animais acometidos. São comuns as seguintes vias de transmissão: contato com objetos contaminados, como gaiolas, comida, água, panos, escovas e pentes. Contato direto com boca, focinho ou descarga ocular de gatos contaminados. Gotículas em suspensão causada por espirros e tosse. Gatos portadores, apesar de não apresentarem sintomas, podem disseminar o agente (principalmente após eventos de stress). Apesar de incomum é possível a transmissão à humanos (zoonose), causando nestes a conjuntivite.

A vacina anti-rábica realiza a imunização contra o vírus da raiva que ataca o sistema nervoso do animal, levando- o a alterações de comportamento como fúria, ou calma excessiva, olhos fixos e inexpressivos, salivação excessiva e aberrações do apetite, podendo também ocorrer paralisia.
O esquema de vacinação, bem como a sua realização deve ser feito apenas pelo médico veterinário.

Após o inicio do esquema de vacinação o proprietário irá receber a carteirinha de vacinação contendo os dados do animal, o selo da vacina, a data das vacinações e o visto do médico veterinário. Essa carteirinha é o comprovante de que seu animal esta imunizado.

III. Controle de Parasitas

Endoparasitas

Os endoparasitas são aqueles que se alojam no interior do organismo do animal, podendo causar sérios prejuízos a saúde do gato. Os mais comumente encontrados são os parasitas gastrointestinais, renais e circulatórios.

O contagio se dá através da via transplacentária em recém nascidos, através de ectoparasitas e através de contato direto ou indireto com fezes e urina de animais contaminados.

O controle e a prevenção se dá conforme utilização de vermífugos.

Para conseguir bons resultados, a vermifugação deve ser realizada pelo médico veterinário, que irá determinar o principio ativo e a dose adequada, associando a vermifugação a requisitos básicos de higiene do animal.

O programa de vermifugação inicia-se com filhotes de três semanas de vida e prossegue sendo feito a partir daí um programa profilático a cada quatro ou seis meses de intervalo durante toda a vida do animal.

Ectoparasitas

Os ectoparasitas são aqueles que se alojam por sobre o corpo do animal, causando distúrbios dermatológicos e sistêmicos. Os mais comumente encontrados são as pulgas, carrapatos, ácaros e piolhos.

O controle destes parasitas se da pela orientação do médico veterinário, que irá determinar o principio ativo, a dose adequada e o intervalo de utilização do medicamento a ser utilizado, associando a requisitos básicos de higiene ambiental.

IV. Banho e Higienização

O primeiro banho do gatinho só deve ser feito após ele ter recebido a última dose de vacina. Antes desse período o que se recomenda é a realização de banhos secos, realizado em locais apropriados e com a orientação de um médico veterinário.

O mais indicado para a realização dos banhos após o término da vacinação, é que sejam feitos em locais especializados, onde todos os cuidados são tomados.

No mais o que se recomenda é que eles sejam feitos em intervalos quinzenais ou mensais. 

Para se realizar banhos em casa deve-se utilizar sabonete neutro ou de preferência produtos específicos para gatos. O banho deve ser feito em período quente do dia e utilizar água morna. Deve-se tomar extremo cuidado com as orelhas do gato impedindo a entrada de água utilizando algodão e deve-se secá-lo com toalha e secador. 

O ato de escovar os pelos deve ser feito diariamente, principalmente em gatos de raças de pêlo médio e longo, devendo utilizar raspadeiras e/ou escovas próprias para gatos, podendo utilizar perfume somente específico para gatos.

A tosa é um ato de embelezamento e higiene para o gato, que deve ser realizada conforme o crescimento do pelo e o padrão da raça do animal (algumas raças não necessitam). A tosa deve ser realizada apenas em locais especializados com profissionais capacitados.

Outros fatores de higienização do animal como a limpeza dos olhos, orelhas, dentes e unhas devem ser feitos e/ou recomendados pelo médico veterinário.

Lembre-se que o gato é um animal extremamente higiênico, e ele mantém-se constantemente limpo.

Sapão (irmão do Panqueca) no pós banho - acho que ele ODIOU! 

V. Alimentação

Uma dieta adequada é essencial para que o animal tenha uma ótima saúde e desenvolvimento em todas as etapas de sua vida.

O gato deve permanecer com a mãe até o desmame. Após este período o proprietário deve fazer a introdução da alimentação que o animal receberá, optando por ração. Sabe-se hoje que o mais indicado para o animal é a administração de ração.

Para cobrir todas as necessidades energéticas diárias, o alimento deve conter de maneira equilibrada proteínas, gorduras, carboidratos, vitaminas e minerais.

As necessidades protéicas no gato são bastante elevadas, onde estas fornecem aminoácidos essenciais para o seu crescimento e renovação dos tecidos.

As gorduras fornecem a energia, e também ácidos graxos essenciais que sintetizados atuam na renovação da pele e no funcionamento hepático. Deve-se salientar que o excesso de gorduras leva ao risco de um excesso de peso e suas conseqüências.

Os gatos requerem um regime alimentar rico em vitaminas, já que seu organismo não as sintetiza em quantidades suficientes, mas cuidado com o excesso que pode causar grandes transtornos em especial, problemas ósseos. A vitamina A é indispensável à visão e a pele e as vitaminas do complexo B intervêm na utilização das proteínas, das gorduras e dos carboidratos.

A utilização de minerais serve para prevenir a aparição de eventuais casos de cálculos que podem vir a obstruir as vias urinárias, onde o alimento não deve conter demasiadas taxas de material mineral, o suficiente para manter o PH urinário ligeiramente ácido. 

Inicialmente, a mudança de alimentação materna requer certa paciência. O gato deve receber alimentação à vontade diariamente quando ração, devido ao seu instinto alimentar, onde ele regula bem o seu consumo energético, mas deve-se acompanhar a evolução do peso do animal. A água a ser oferecida deve ser filtrada e estar sempre fresca e a vontade para o animal. O gato é um animal que bebe pouca água por isso produz uma urina bastante concentrada.

No uso da ração, o médico veterinário irá instruir sobre qual tipo de ração é a mais indicada, existindo variações grandes entre marcas e a faixa etária do animal.

A administração de complexos vitamínicos e/ou minerais fica a critério do médico veterinário.

A alimentação e a água devem ser ofertados em vasilhas distintas e específicas para com a idade e a raça do animal. O local de alimentação deve ser escolhido e mantido pelo proprietário, de preferência que de fácil acesso para o animal e para a realização da limpeza.

VI. Habitat

O local onde o animal irá comer, dormir, fazer suas necessidades e permanecer fica a critério do proprietário, salvo alguns casos extremos onde o veterinário deve ser consultado e orientar.

Esses locais devem ser de fácil acesso para o animal e para o proprietário, devem ser abrigados da chuva, arejados, limpos e secos.

O local de dormir pode ser uma casinha, cesto, almofada ou lençol, onde deve ser mantida uma constante higiene. O animal deve ser ensinado a realizar as suas necessidades em local apropriado, de preferência uma caixa sanitária contendo granulado específico, podendo-se utilizar produtos que auxiliem no adestramento.

A limpeza desses locais deve ser feita regularmente. Podem-se utilizar os produtos de limpeza habituais do dia-a-dia, salvo em casos que os animais manifestarem um processo alérgico a esses. Durante a limpeza retire o animal e só permita a sua volta após a total limpeza do local (limpo e seco).

VII. Considerações Finais

Deve-se ter em mente que o animal age por instinto, e assim suas atitudes se caracterizam como se ele estivesse "livre" na natureza. Portanto ele deve ser educado insistentemente e corretamente a fim de que seja adaptado dentro de sua nova realidade, juntamente com seu novo lar e família. 

Além do seu instinto animal o gato possui uma forte personalidade, e esta deve ser respeitada e combatida, mantendo-se um equilíbrio.

Vale salientar que para repreender o animal deve-se utilizar principalmente o olhar e o tom de voz, pois gritos e surras não adiantam para adestrá-lo e só servem para o tornar inseguro e medroso. Lembre-se que quando o gato realiza algo corretamente ele deve ser recompensado, para assim estimulá-lo a possuir o instinto que se enquadre na sua nova vida.

- Eu recorri aos sprays de água com o Panqueca, o único que consegui e precisei educar mesmo. Na hora de recompensar sempre dei as balinhas de Whiskas Temptations.

Lembre-se que hoje em dia encontra-se disponíveis no mercado toda uma linha de produtos especializados para gatos. Assim procure sempre utilizá-los rotineiramente, o que será ótimo para o gato e ótimo para o proprietário.

Tome muito cuidado com produtos químicos, inseticidas, raticidas, desinfetantes, plantas tóxicas e objetos que podem ser engolidos ou causarem ferimentos nos animais.

Caso você perceba algo de estranho fisicamente ou no comportamento do seu animal, procure imediatamente o seu médico veterinário de confiança e ele indicará qual o problema e qual a melhor solução. Uma visita trimestralmente ao médico veterinário, mesmo que o animal não apresente alterações, é indicada para mantê-lo sempre com a saúde em perfeitas condições, assim nem o animal nem os seus proprietários terão problemas.

Dr. Leandro Neves Camacho - Médico Veterinário (atende em domicílio e com maior facilidade ainda no ABC)
CRMV / SP 16.029
Tel: 11 97686-7337

15 comentários:

  1. Tenho certeza que o Sapão odiou o banho! rsrs
    Tenho muita vontade de adotar um gato filhotico...os meus já vieram maiorzinhos e não precisei ensinar nada.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sorte sua, achei um filhotinho na rua, quase morto. Hj, 1 mes depois ele ta otimo, mas da trabalho, pq te que ensinar as coisas. e ele é muito sapeca.

      Excluir
  2. Hahahahaha Sapão odeia banhos... mas que gato não, né? hehehe

    ResponderExcluir
  3. qual é a raça do primeiro gatinho da foto...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, faço ideia, Tata.
      Mas olha, raça não importa! Todos são lindos, especialmente quando filhotinhos!
      Adota um tigrinho! :)

      Excluir
  4. eu quero adotar um filhote de gato femea, vcs tem uma ai pra mim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  5. Ola,meu gatinho não tem mae e estávamos alimentando com leitinho para gatos. Agora ele tem cerca de 30 dias e apresentamos a papinha para ele, e ele aparentemente gostou muito. Acredito que esteja comento bem! Ele sempre chora com fome e apos comer ele parece satisfeito e dorme. Porem minha duvida é sobre a ingestão de agua. Como ele esta comendo só papinha, que tem menos agua que o leite,sera que é necessário continuar dando leite para ele continuar ingerindo mais agua?ou posso só dar a papinha por mais alguns dias ate ele migrar para a racao?

    ResponderExcluir
  6. minha gata pariu 4 filhotes e um deles esta saindo pus dos dois olhinhos,limpo todos os dias com algodao,mais nao esta melhorando,oque eu posso fazer em casa para ajudar???

    ResponderExcluir
  7. minha gata pariu 4 filhotes e um deles esta saindo pus dos dois olhinhos,limpo todos os dias com algodao,mais nao esta melhorando,oque eu posso fazer em casa para ajudar???

    ResponderExcluir
  8. Ola achei um gatinho ha 2 semanas na rua deve ter3 meses. hoje ele tomou leite de manha meio dia dei raçao pra ele a tarde ele vomitou tava com a respiraçao rapida salivando olhar parado o corpinho parece que paralisou e mia feio parace com dor so baba e mexe a cabecinha o que poderia ter acontecido com ele tao rapido?

    ResponderExcluir
  9. É necessário dar vitamina após a primeira vermifugaçao no filhotinho felino?

    ResponderExcluir
  10. Olá,Tenho uma gatinha amamentando e a alimentação dela está me preocupando. Quer só petiscos da whiskas. O sachê só lambe . Comprei ração de filhote e a que sempre gostou que é de frutos do mar. Minha pergunta é ... ela come 1 potinho de petiscos por dia. Tem as vitaminas necessárias pra ela amamentar? Tem algum perigo o excesso? Obrigada . Tentei fazer o cadastro no blogg e não consegui.

    ResponderExcluir
  11. Tenho dois gatos com 60 dias tem um que comecei a dar leite ninho pra ele e ele estava com apenas 17 dias e agora tá firme e forte kkk

    ResponderExcluir