quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Como Sapatinhos Velhinhos...

Era uma vez um par de sapatinhos.

Sapatinhos novinhos, lindos e fofinhos. Sapatinhos que todo mundo elogiava quando a menina usava. Sapatinhos dos sonhos. Sapatinhos para amar.

A menina usava muito os sapatinhos. Saracoteava por todos os cantos exibindo orgulhosa seu pézinho e durante 14 anos os sapatinhos fizeram a alegria da menina e da sua família, que também adorava os sapatinhos e cuidava deles como se fossem seus tb.

Um dia estes sapatinhos, já velhinhos e bastante usados, não serviam mais para a menina e nem para a sua família. Os sapatinhos viraram mesmo um estorvo, porque ocupavam espaço, precisavam de atenção e cuidados para continuarem lindos (mesmo velhinhos), mas a menina já não se preocupava com isso. Serviram por 14 anos, mas agora, na velhice, eles deveriam ser abandonados por aí.

Eis que os sapatinhos estão aqui e se chamam Madruguinha e Gordinho. Sapatinhos na melhor idade, vislumbrando anos felizes e tranquilos de aposentadoria, mas os planos da menina não são os mesmos do par de sapatinhos e agora Madruguinha e Gordinho, do alto dos seus 14 anos de amor e dedicação à menina e à sua família, estão precisando de novos pezinhos, porque a menina está mudando de casa com a sua família e os sapatinhos não cabem na bagagem.

Simples assim, se não ganharem novos pezinhos, sapatinhos serão abandonados na rua onde a menina antes morava e de onde ela está se mudando em breve. Os sapatinhos que se virem sozinhos, velhinhos e indefesos na cidade. Que encontrem por obra de Deus e por sua conta própria alimento, água e proteção ou pés novos para calçarem.

Quem aqui acha que sapatinhos velhinhos de 14 anos conseguirão se virar bem nas ruas?

Pois bem, tentei maquiar. Deixar a história menos horrenda, mas a verdade é que estes dois belos senhorzinhos precisam da nossa ajuda para não irem parar nas ruas, pois sim, eles serão abandonados se não forem adotados.

Sei que pouca gente pode querer adotar dois gatinhos que já possuem menos anos adiante do que no passado, mas eles estão super saudáveis e precisam viver seus últimos anos em paz. É um ato de muito amor permitir que estes velhinhos entrem em sua vida.

Que tal ajudar compartilhando mto esta postagem se não puder adotar? A tragédia da vida de Madruguinha e Gordinho já está anunciada, mas nós podemos ajudar a mudar esse quadro.

Para adotarem Madruguinha e Gordinho (juntos, de preferência, pois são 14 anos um ao lado do outro e o abandono e mudança de casa já serão baque suficiente pro coração dos vovozinhos) enviem um email para avidacomgatos@gmail.com  ou inbox lá na página do Facebook que eu encaminho para a pessoa responsável por eles até o momento, ok?
Eles estão em São Paulo, Capital.


Ajudem, gente, por favor! Esses velhinhos não merecem isso.

"oi, eu sou o Madruguinha, tb conhecido como sapatinho velho do pé direito. me calça? eu sou confortável, lindo e gostoso"

"oi, eu sou o Gordinho, o pé esquerdo do par de sapatinhos. Não queria ir para a rua sem pés que me calcem, não sei andar sozinho, mas sou lindo e prometo deixar seus pézinhos mais felizes. Me calça tb?"

11 comentários:

  1. Que tristeza, gostaria muito de ter espaço para adota-los mas infelizmente posso ajudar somente compartilhando muitoooo esta postagem... Parabens por tentar tornar esta historia menos monstruosa...

    ResponderExcluir
  2. Não vou entender nunca gente assim!! Já compartilhei via facebook. Boa sorte aos vovozinhos lindos!

    ResponderExcluir
  3. Eles são lindos e com certeza vão encontrar um lar cheio de amor e carinho. Eu adoro gatos. Sempre os tive como companheiros , mas hj não tenho como adotar. Ajudo divulgando .

    ResponderExcluir
  4. Não dá pra acreditar numa situação absurda dessas! Eles passaram 14 anos ao lado de uma família, nos bons e maus momentos e agora simplesmente são despejados??? Você floriu lindamente essa história horrível e eu vou ficar torcendo muito para que eles encontrem felicidade e amor em suas vidas juntinhos. Se eu pudesse ficava com eles mas já tenho meus velhinhos ciumentos por aqui e moro em outro estado. Eles são simplesmente lindos!!!
    Beijos
    Laís

    ResponderExcluir
  5. Não consigo imaginar essa situação, may... Estou com os olhos cheios dágua. Fico imaginando os meus sapatinhos hj novinhos em sua velhice. Tudo o que eu desejo pros meus é que vivam 50 anos, juntos, agarrados. Não consigo imaginar a separação deles. Como, meu Deus, o ser humano tem essa capacidade??? Torcendo muito por esses velhinhos tão conservados!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  6. É de cortar o coração ler uma coisa dessas. Como uma pessoa pode se desfazer de dois anjos só porque são mais velhinhos?
    Deus, São Francisco, olhem por essas alminhas que precisam de carinho neste momento. Que possam conseguir um lar juntinhos e o amor de quem preza a vida que o Senhor criou.

    ResponderExcluir
  7. Pedimos desculpa mas é apenas para divulgar. Um casal, a crise, poupanças e histórias de quem vive a crise como muitos outros, mas onde a poupança é o melhor remédio. Pode passar a mensagem…? Obrigado!

    http://ocarteiravazia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Fico triste e ao mesmo tempo indignada com essa história. Gente, foram 14 anos! Será que nenhum laço afetivo foi construído ao longo desse tempo? Tenho certeza de que os dois fofos vão encontrar uma família muito especial com quem poderão passar a aposentadoria que tanto merecem. Dedos cruzados e pensamento positivo! ;)
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Se eu falar que o gato é meu, pronto! É meu até o fim dos tempos!! Não consigo imaginar alguém se desfazendo de um animal depois de tanto tempo de convivência! É de doer o coração!!

    Espero que eles já tenham arrumado um lar decente, pois essas últimas tutoras foram uma lástima!!

    ResponderExcluir